Esterilização em pouches

Tudo o que precisa de saber sobre a esterilização de alimentos em pouches

Esterilização em pouches

O objetivo deste artigo é informá-lo sobre as particularidades desta embalagem de plástico no que diz respeito à produção e comercialização de conservas gourmet e/ou refeições prontas. Naturalmente, vamos concentrar-nos nos processos de pasteurização e esterilização com este tipo de bolsa, para que possa decidir se é ou não o recipiente adequado para o seu produto.

Embalagens flexíveis para conservas e refeições prontas

Pouch é um termo anglo-saxónico que na nossa língua significa bolsa. Em termos gerais, as pouches, também denominadas doypacks ou Stand up pouch, são recipientes flexíveis com três selagens que se caracterizam pelo facto de poderem ficar de pé sobre a sua base.

Considera-se que a história deste tipo de embalagem flexível começou com a invenção do celofane em 1900 pelo químico suíço Jacques E. Brandenberger. O celofane é uma película transparente e flexível, obtida por regeneração da celulose e utilizada principalmente como embalagem ou invólucro.

Após 12 anos de investigação, Brandenberger conseguiu finalmente patentear este polímero natural. No mesmo ano, o celofane começou a ser utilizado para embrulhar rebuçados nos Estados Unidos.

Este foi o primeiro passo na procura de recipientes mais leves e fáceis de empilhar que permitissem o transporte de mais produtos a um custo mais baixo. Isto foi possível graças ao desenvolvimento da indústria petroquímica e ao aparecimento de novas máquinas.

Atualmente, cada vez mais empresas utilizam pouches para embalar conservas e refeições prontas, pois oferecem muitas possibilidades e vantagens.

Estructura de un doypack o pouche

Tipos de embalagens flexíveis para alimentos

Existe uma grande variedade de embalagens flexíveis para alimentos disponíveis no mercado. Existem diferentes modelos e tamanhos, desde 33 ml até 1,5 litros de capacidade.

Como já foi referido, estes recipientes têm três uniões, duas longitudinais nos lados e uma no topo. E são fabricados com:

  • Duas camadas de película plástica:
    • Uma de polipropileno (PP), que é um polímero termoplástico adequado para pasteurização, esterilização, acondicionamento em atmosfera modificada (MAP), refrigeração rápida, congelação, etc.
    • E outra de poliéster termoplástico que é geralmente feita de tereftalato de polietileno (PET).
  • Uma folha metálica, geralmente de alumínio.

Além disso, estão disponíveis pouches com abertura destacável, de utilização única ou reutilizável, ou com bocal e tampa. A saída do produto pode estar na vertical ou num canto. No caso de ter um bocal, o bocal pode ter diferentes diâmetros e o tamanho da tampa pode ser normal ou mais larga, estilo baby safe.

Vantagens e desvantagens dos doypacks para a produção de conservas e refeições prontas

São muitos os benefícios atribuídos a este novo tipo de embalagem no setor alimentar, tais como:

Tal como tem os seus prós, também tem os seus contras. Um deles seria a sua reciclagem, que é complicada, uma vez que é um recipiente com várias camadas e contém também outros elementos, como o zipper ou as tampas. Embora seja verdade que atualmente já existem no mercado pouches 100% recicláveis. Também é verdade que têm um custo unitário mais elevado.

Outra desvantagem é o facto de não se poder ver o produto no interior, como acontece com os recipientes de vidro. Embora este seja um campo que também está a ser trabalhado e já existam empresas que oferecem doypacks semi-translúcidos ou com secções transparentes.

Se ainda tem dúvidas, visite este artigo e descubra quais são as embalagens mais adequadas para a produção de conservas.

Envase flexible para conservas y platos preparados

Conservas e refeições prontas em embalagens flexíveis

Já deve ter reparado que cada vez mais marcas utilizam estes sacos termosseláveis nas prateleiras ou no frigorífico da sua loja. Os alimentos que normalmente encontramos são:

  • Molhos para salada
  • Alimentação infantil
  • Comida para animais de estimação
  • Fruta em pedaços
  • Azeitonas
  • Refeições prontas a consumir, por exemplo, massa com molho, almôndegas com molho, cremes, etc.
  • Sofritos e molhos
  • Sopas
  • Ovo ou gema de ovo

Muitos dos produtos que encontramos acondicionados em pouches tendem a ser esterilizados, embora esta não seja uma regra geral.

Lembre-se de que não é o recipiente em si que determina o tratamento térmico a efetuar, mas sim os ingredientes que contém e o objetivo do profissional.

Da mesma forma que há produtos que podem ser encontrados à temperatura ambiente e têm um prazo de validade de até 5 anos, há outros que são guardados no frigorífico e duram menos tempo. Isto porque se trata de conservas ou refeições prontas que foram pasteurizadas.